A

Abcesso

Coleções de pus em espaços teciduais confinados, geralmente causados por infecção bacteriana

→ BUSH, Larry M. Abcesso. Manual MSD, Versão para Profissionais de Saúde. Julho de 2020. Disponível em: <https://www.msdmanuals.com/pt/profissional/doen%C3%A7as- infecciosas/biologia-das-doen%C3%A7as-infecciosas/abscessos> Acesso em: 09/07/2022

Absorção

Entende-se por absorção a passagem por fármaco da via de administração para a circulação sistêmica, através de membranas biológicas.

→ JÚNIOR, I. S. O. Princípios da Farmacologia Básica em Ciências Biológicas e da Saúde. São Paulo: Editora Rideel, 2016. 334 p.; 20cm, Bibliografia p. 18. ISBN: 978-85-339-2084-2

Acetilcolina

Derivado da colina, podendo ser produzida endogenamente em certas reações antígeno- anticorpo. É responsável pela transmissão dos impulsos da fibra pré-ganglionar, estimulando os neurônios pós-ganglionares; age também diretamente sobre as células da musculatura lisa; participa na transmissão dos impulsos na placa motora terminal.

→ ACETILCOLINA In.: DICIO, Dicionário de termos médicos e de enfermagem / organização Deocleciano Torrieri Guimarães. São Paulo: 1. ed. 2002

Adenilil ciclase

Enzima responsável pela formação de AMPc.

→ RANG, H.P., RITTER, J.M., FLOWER, R.J., HENDERSON, G. Rang & Dale: Farmacologia. 8a ed. Rio de Janeiro: Elsevier, p. 104, 2016.

Adjuvante

Ingrediente secundário numa preparação farmacêutica

→ ADJUVANTE In.: DICIO, Dicionário de termos médicos e de enfermagem / organização Deocleciano Torrieri Guimarães. São Paulo: 1. ed. 2002.

Adrenalina

Hormônio produzido pela porção medular das glândulas suprarrenais. Estimula a ação cardíaca, eleva a pressão sanguínea e tem ação relaxadora dos músculos ligados aos brônquios, auxiliando no tratamento de crises asmáticas graves.

→ ADRENALINA In.: DICIO, Dicionário de termos médicos e de enfermagem / organização Deocleciano Torrieri Guimarães. São Paulo: 1. ed. 2002.

Agonista

Agem ativando ou estimulando seus receptores, produzindo uma resposta que pode aumentar ou diminuir a função celular.

→ JÚNIOR, I. S. O. Princípios da Farmacologia Básica em Ciências Biológicas e da Saúde. São Paulo: Editora Rideel, 2016. 334 p.; 20cm, Bibliografia p. 24. ISBN: 978-85-339-2084- 2.

Agonista inverso

Pratica o Agonismo inverso, que é a propriedade de um fármaco de produzir uma redução basal da atividade de sinalização após sua ligação ao receptor.

→ NUCCI, G. D. Tratado de Farmacologia Clínica. Rio de Janeiro. Editora Guanabara Koogan, 2021. 1288 p.; 28cm. Bibliografia p. 89. ISBN: 978-85-277-3736-4.

Agonista parcial

Que produzem uma resposta mais baixa na ocupação total do receptor.

→ KATZUNG, B. G. Farmacologia Básica e Clínica. São Paulo: Editora McGraw-Hill, 2007. 1045 p.; 21cm. Bibliografia p. 15. ISBN: 978-85- 86804-86-1.

Alopatia

Método de tratamento que emprega medicamentos que agem sobre os sintomas e causas da doença que se quer tratar

→ ALOPATIA In.: DICIO, Dicionário de termos médicos e de enfermagem / organização Deocleciano Torrieri Guimarães. São Paulo: 1. ed. 2002.

Alucinação

Percepção clara e definida de um objeto (voz, ruído, imagem) sem a presença do objeto estimulante real

→ Dalgalarrondo, Paulo Psicopatologia e semiologia dos transtornos mentais / Paulo Dalgalarrondo. – 2. ed. – Porto Alegre : Artmed, 2008. 440 p. ; 25 cm. Pg 97

AMPc

Monofosfato de Adenosina Cíclico (AMPc) – canal dependente de estímulo (quimiossensiveis), estes abrem ou fecham em respostas a agentes químicos intracelulares.

→ RAFF, Hershel., LEVITZKY, Michael. Fisiologia Médica: Uma abordagem integrada. Porto Alegre: AMGH Editora, p. 11, 2012.

Analgesia

Falta de sensibilidade à dor; é causada por drogas, anestésicos ou bloqueio nervoso. Para grandes dores usam-se anestésicos fortes como a morfina, o ópio e a codeína, sob vigilância de controle médico porque causam dependência

→ ANALGESIA In.: DICIO, Dicionário de termos médicos e de enfermagem / organização Deocleciano Torrieri Guimarães. São Paulo: 1. ed. 2002.

Anamnese

História pessoal do doente e de sua família.

→ ANAMNESE. In.: DICIO, Dicionário de termos médicos e de enfermagem/ organização Deocleciano Torrieri Guimarães. São Paulo: 1. ed. 2002.

Anestesia

Ausência de sensação dolorosa com ou sem perda de consciência, durante cirurgias

→ ANESTESIA In.: DICIO, Dicionário de termos médicos e de enfermagem / organização Deocleciano Torrieri Guimarães. São Paulo: 1. ed. 2002.

Anosmia

Diminuição ou perda completa do olfato, transitória ou permanente

→ Anosmia In.: DICIO, Dicionário de termos médicos e de enfermagem / organização Deocleciano Torrieri Guimarães. São Paulo: 1. ed. 2002.

Antagonista

É um fármaco que bloqueia a resposta produzida por outro fármaco ou por um ligante endógeno. São desprovidos de atividade intrínseca.

→ SOCIEDADE BRASILEIRA DE FARMACOLOGIA E TERAPÊUTICA EXPERIMENTAL. ANTAGONISTA: Interação Fármaco-Receptor. São Paulo, 2020. Disponível em: <www.sbfte.org.br/wp content/uploads/2021/03/Interacao_farmaco_receptor_Amuller.pdf> Acesso em: 11 jul. 2022.

Antagonismo alostérico

Mecanismo pelo qual um antagonista pode bloquear o efeito do agonista ligando-se em sítio distinto daquele em que o agonista se liga, mas, ao fazê-lo, altera a conformação do receptor de modo que o agonista agora não transmita o estímulo.

→ NUCCI, G. D. Tratado de Farmacologia Clínica. Rio de Janeiro. Editora Guanabara Koogan, 2021. 1288 p.; 28cm. Bibliografia p. 90. ISBN: 978-85-277-3736-4.

Antagonismo competitivo

É um fármaco que se liga seletivamente a determinado tipo de receptor sem ativá-lo, porém com a peculiaridade de impedir o acoplamento do agonista endógeno. É dito “superável” quando reversível.

→ SOCIEDADE BRASILEIRA DE FARMACOLOGIA E TERAPÊUTICA EXPERIMENTAL. FARMACODINÂMICA: Interação Fármaco-Receptor. São Paulo, 2020. Disponível em: <www.sbfte.org.br/wpcontent2021 /03/Interacao_farmaco_receptor_Amuller.pdf> Acesso em: 11 jul. 2022.

Antagonismo reversível

Por meio da lei da ação das massas, ocorre uma competição entre o agonista e o antagonista pelo mesmo sítio do receptor. A molécula com maior afinidade ou em maior concentração domina a ocupação do receptor.

→ NUCCI, G. D. Tratado de Farmacologia Clínica. Rio de Janeiro. Editora Guanabara Koogan, 2021. 1288 p.; 28cm. Bibliografia p. 92. ISBN: 978-85-277-3736- 4.

Anti-helmíntico

Contra os vermes.
→ ANTI-HELMINTICO In.: DICIO, Dicionário de termos médicos e de enfermagem/organização Deocleciano Torrieri Guimarães. São Paulo: 1. ed. 2002.